Os Homens que Encaravam Cabras

Por Gabriel Dos Ouros 

os-homens-que-encaravam-cabras1Imagine se alguém, almejando transformar o mundo em algo bom e construir uma nova América que não explore seus recursos naturais, resolve mudar o exército introduzindo espiritualidade, paz e amor na guerra, além de armas não-letais 100% biodegradáveis. “Seja tudo que você pode ser” era o slogan desse exército, o Exército da Nova Terra. O filme se desenrola numa perspectiva hippie que traz coincidências, comicidade e surrealismo em sua narrativa.

Depois de descobrir que seu editor estava saindo com sua esposa e sedento por alguma aventura que rendesse uma boa história, Bob Wilton (Ewan McGregor) resolve cobrir a Guerra do Iraque em 2003 para impressioná-la. É a típica história de alguém magoado por ter levado um fora. A partir desse ponto o filme nos levará para uma aventura peculiar.

Não conseguindo a autorização que precisava para ir ao Iraque, Bob espera no Kuwait, enquanto mentia para sua mulher dizendo que estava na guerra. Por coincidência, o jornalista encontra Lyn Cassady (George Clooney) e relembra uma entrevista que fez meses atrás com Gus Lacey (Stephen Root), a pedido do seu editor.

Gus Lacey era um homem que dizia ter um poder telepático e uma “visão remota”, o poder viajar para qualquer lugar utilizando o poder da mente. Lacey fez parte de um treinamento secreto do exército aprovado pelo alto escalão do governo nos anos 80, em que a maioria era espiões psíquicos. Depois, foram treinados para matar animais com o poder da mente, encarando-os. Considerado louco por Bob, ele recomendou o trabalho de Lyn Cassady, o cara mais poderoso que ele conheceu depois de Bill Django (Jeff Bridges). Uma iniciativa secreta, chamada “Projeto Jedi”, objetivava criar soldados com super poderes. A ideia era que, para mudar o mundo, deveria começar mudando o exército.

97 - scan

No Kuwait, ao ler seu crachá, Bob se lembra de Lyn, um dos soldados paranormais. Lyn Cassady acredita ser um guerreiro jedi e ter o poder da invisibilidade 3º nível. Inclusive a primeira cena do filme, que chama atenção e gera comicidade por sua imprevisibilidade, é a tentativa de Cassady de ultrapassar a parede, sem êxito.

Bob fica com vontade de escrever sobre isso e se anima ainda mais com a ideia quando descobre que Lyn está indo para o Iraque. Mas ele não imaginava que estava entrando numa missão secreta (que teria sido atribuída por uma projeção psíquica de Bill, e que Bob só pôde participar por um sinal do universo) e das consequências disso.

Bill Django, um soldado, antes de se tornar o homem mais poderoso segundo Lacey, levou um tiro logo após ter ficado impressionado com o horror da guerra. Nesse momento ele teve uma visão, que dizia: “sua sensibilidade é sua força”. Então ele resolve explorar formas alternativas de combate, com apoio financeiro do Pentágono – o presidente Reagan era fã de Star Wars e de coisas sobrenaturais. Ele partirá de uma proposta um tanto quanto hippie, de amor e paz na guerra.

Depois de seis anos vivendo com os hippies, ele volta com o “Guia militar da Nova Terra”, defendendo a união pela espiritualidade e forças do bem. Os guerreiros Jedi saltariam de paraquedas em zonas de guerra carregando flores, animais, tocando músicas e palavras de paz, utilizando o olhar técnico.

19268509.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx

Larry Hooper, um dos soldados, começou a fazer pesquisas para reforçar seus poderes psíquicos e conseguir competir com Lyn. O que ele estava testando era LSD. Sua primeira cobaia, Norm, atirou em sua própria cabeça, nu. Seu pai, influente no Pentágono, ficou irritado e Bill foi dispensado. Major Holtz assumiu o comando dos Jedis e mudou tudo que Bill desenvolvia. Foi assim que Lyn se sentiu no papel de continuar suas missões Jedis.

Seguindo a missão, Bob e Lyn se perderam no deserto iraquiano e tiveram alguns problemas com comida, bebida, carro quebrado, a captura deles por um grupo.  Lyn chega a acreditar ser uma maldição por culpa dele próprio, por ter parado o coração de uma cabra, algo contra as regras dos Jedis. Mas utilizando o poder da mente e algumas técnicas Jedi – e um pouco de sorte, conseguiram chegar ao local de pesquisas do atual exército.

O filme contém diversos flashbacks dos anos 80 (são as cenas mais engraçadas do filme) para mostrar treinamentos, técnicas de combate e os ideais do novo exército de Bill, até que Lyn Cassady encontra Bill, trabalhando para Larry. Junto com Bob, que se tornou simpático aos Jedis, eles buscarão libertar todos. O mais importante, por fim, não foi a história que o jornalista queria escrever, mas o encontro dele consigo mesmo. Aqui há um retorno da primeira cena do filme, agora com Bob Wilton, com um resultado diferente.

Referente à construção do profissional de jornalismo, o filme parte da ideia comum de um contador de histórias, e vê o correspondente de guerra como bem-sucedido e interessante, com muita história para contar, ou seja, uma posição social desejável, principalmente para quem quer se aventurar. Bob Wilton encarou a profissão inclusive como forma a aumentar a autoestima e conseguir enfrentar os problemas com sua esposa e com Dave, seu editor. Quando Lyn conta que vai para o Iraque, Bob insiste para ir junto, demonstrando coragem, pois renderia uma boa história. “Vou onde a história está”, pronuncia o jornalista. O ceticismo também é presente desde o começo, quando, durante a entrevista com Gus Lacey, julga-o louco. Tanto a grande dose de coragem quanto o ceticismo, característico de jornalistas, serão postos à prova ao longo do filme. Também é interessante pensar que quando Bob abre mão do ceticismo e da objetividade inalcançável, consegue transcender.

01

“Há mais verdade nisso do que você acreditaria”, avisam os créditos iniciais. O mais interessante do filme é as correlações com a realidade. O general do exército dos EUA e historiador S.L.A. Marshall realizou uma controversa pesquisa em 1947 dizendo que 85% dos homens não disparam armas para matar. Outra curiosidade é que Bill Django foi inspirado no tenente-coronel Jim Channon, que escreveu um livro falando sobre uma transformação “New Age” do exército dos EUA, com ideias de utilização de habilidades paranormais e princípios da contracultura para utilizar nos conflitos com adversários.

O filme explora algumas características de Dr. Fantástico, de Stanley Kubrick, principalmente a sátira da guerra. Simples e divertido, vale a pena ser visto.

 

Links indicados:

http://delfos.net.br/conteudos/index_interna.php?id=6703&id_secao=1&id_subsecao=2

http://omelete.uol.com.br/filmes/criticas/os-homens-que-encaravam-cabras/?key=46898

http://www.cineclick.com.br/criticas/os-homens-que-encaravam-cabras

https://en.wikipedia.org/wiki/Jim_Channon

 

Ficha Técnica:

Título original: The Men Who Stare at Goats

Gênero: Comédia

Direção: Grant Heslov

Roteiro: Peter Straughan (baseado no livro de Jon Ronson)

Elenco: George Clooney, Jeff Bridges, Ewan McGregor, Kevin Spacey

Produção: Paul Lister, George Clooney, Grant Heslov

Duração: 95 min.

Ano: 2009

País: Estados Unidos/Reino Unido

Trailer:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s